Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Versão Feminina

O mundo aos olhos das mulheres - a dualidade entre a delicadeza e a complexidade! By Freckles & RedHead

Versão Feminina

O mundo aos olhos das mulheres - a dualidade entre a delicadeza e a complexidade! By Freckles & RedHead

Menina-Mulher

Durante a nossa vida passamos por muitas fases e não são raras as vezes em que nos apercebemos que certas coisas que nos disseram no passado fazem agora todo o sentido.

Às vezes olho para trás, para os meus 18 aninhos e penso “como as coisas mudaram, como eu mudei!”. Mas noto que a essência continua a mesma, para o bem e para o mal.

 

Nos últimos tempos tenho andado um pouco pensativa, não sei se é porque os 30 estão quase a chegar, ou simplesmente porque agora racionalizo mais as coisas, de uma forma que não fazia antes.

 

Na adolescência as nossas ocupações (pelo menos as minhas) prendiam-se por ir às aulas, fazer novas amizades, socializar o mais possível e prolongar ao máximo os dias fora de casa. O tempo passava ao sabor de uma tarde de conversa com os amigos.

Preocupações com o futuro eram ainda muito ligeiras, embora a ida (ou não) para a Universidade estivesse eminente. Sempre fui uma adolescente muito insegura e indecisa, mas a escolha do curso até foi relativamente fácil, embora só a tenha feito no fim do 12º. E embora não me arrependa do caminho que escolhi (e de tudo o que vivi derivado a isso), fico sempre na dúvida “será isto que me vai fazer feliz e realizada para o resto da vida?” E a dúvida instala-se.

 

Confesso que o que as outras pessoas pensam sempre teve alguma influência em mim (raios partam!), mas agora já não sinto tanto isso. Acho que tenho vindo a aprender a valorizar-me mais, a ouvir mais o meu coração e a seguir o meu instinto. Afinal, ninguém pode decidir por mim e o caminho que eu escolher vai mudar somente a minha vida. Sinto que agora estou mais consciente do que quero e que a fasquia foi-se elevando ao longo dos anos, não só porque eu também dei muitas cabeçadas e cresci, mas também porque agora quero mais e acho que mereço mais (“never settle for less than you deserve…”).

 

E agora? Nada nesta vida é garantido, mas se não seguirmos o que nos move (mesmo arriscando) e procurarmos a felicidade no dia-a-dia será que vale a pena a viagem? A menina continua cá dentro, ingénua e sonhadora, mas por fora tem uma mulher cada vez mais forte para a proteger e orientar (mesmo que não saiba o caminho).

 

420894bc22e76ba3fc97656ae3e3def7.jpg

 

By Freckles

2 comentários

Comentar post